Defensoria Pública leva cidadania para mais de 1,5 mil moradores do Porto D´Antas

Mutirão da Saúde realizou atendimentos relacionados a questões jurídicas e serviços de saúde
Article show big 9b4a3da4626632d1

Aproximar cada vez mais a Defensoria Pública do Estado de Sergipe da população hipossuficiente. Foi com esse objetivo que o Núcleo da Saúde, em parceria com o projeto “Defensor Público na Sua Comunidade”, realizou na sexta-feira, 7, data em que se comemora o Dia Mundial de Saúde, o “Mutirão da Saúde” . O evento foi realizado na Unidade de Qualificação Profissional (UQP) da Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat), no Bairro Porto D´Antas, em Aracaju.
 
Os defensores públicos do Núcleo da Saúde, Saulo Lamartine, Carolina Melo, Gustavo Dantas e Guilherme Cavalcanti prestaram orientações jurídicas e fizeram encaminhamentos para ações relacionadas a procedimentos médicos como cirurgias, exames, suplementos alimentares, órteses e próteses, internamentos e outros.
 
Já os defensores públicos Marcelo Negreiros, Marlene Martins e Eduardo Cação esclareceram dúvidas sobre pensão alimentícia, usucapião, divórcio, inventário, guarda, curatela, reconhecimento de paternidade, tutela e demais relacionados ao direito de família e sucessões. 

 
O Centro Integrado de Atendimento Psicossocial da Defensoria Pública (CIAPS), através da psicóloga Syrlene Besouchet, da assistente social Maria das Graças e de estagiários do curso de Serviço Social, fizeram atendimento para emissão de segunda via de Certidões de Nascimento, Casamento e Inteiro Teor, além de autorização para carteira de identidade.
 
Em parceria com as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde, foram disponibilizados também para a comunidade testes de Hepatite B e C, HIV/AIDS, exames de glicemia e lâmina, aferição de pressão arterial, palestras e roda de conversa. Na oportunidade, foram distribuídos preservativos masculino e feminino.
 
Para o coordenador do Núcleo da Saúde, Saulo Lamartine, o resultado do mutirão foi positivo. “Os dados do evento demonstram, por si sós, a sua relevância. No total, foram realizados 1.550 atendimentos, que trouxeram à comunidade não só à concretização de serviços e a resolução de questões jurídicas, mas, principalmente, o resgate da dignidade da comunidade. Esse contexto corrobora a importância do projeto para as comunidades mais carentes e da Defensoria Pública como verdadeiro instrumento de efetivação da democracia e de transformação social”, enfatizou.


 
O defensor público geral, Jesus Jairo Lacerda, agradeceu a parceria e apoio dos órgãos e disse que o mutirão representa o exercício da cidadania. “A participação dos servidores das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde, além do apoio da Fundat que cedeu a estrutura física, da Polícia Militar e da SMTT foram imprescindíveis para o sucesso do evento. Não podemos deixar de agradecer também aos defensores públicos, servidores e funcionários terceirizados que participaram voluntariamente e contribuíram de forma decisiva. Mutirões como esse levam cidadania e aproxima a Defensoria Pública da população, contribuindo para a garantia dos direitos que são negados, principalmente, na área de saúde”, pontuou.
 
A defensora pública e idealizadora do projeto “Defensor Público na sua Comunidade”, Isabelle Peixoto, afirmou estar feliz com o resultado do evento e garantiu que o projeto será expandido para outros bairros e interior do Estado. “É muito gratificante e me deixa feliz poder fazer parte desse projeto, que visa levar a Defensoria nas comunidades que são desprovidas de qualquer tipo de serviço, dos direitos básicos de todo cidadão. O papel da Defensoria é ser pacificador social e de estar perto das pessoas que necessitam garantir esses direitos. Quanto ao atendimento o número foi expressivo, mas mesmo com todos os serviços oferecidos as pessoas ainda carecem de mais serviços. O projeto é permanente e pretendemos leva-lo para várias comunidades de Aracaju e para os municípios”, garantiu.
 
O autônomo, José Edmilson Araújo da Silva, aprovou a iniciativa da Defensoria Pública. “Já fui presidente da Associação dos Moradores do Porto D`Antas e sei da necessidade da população. Essa ação da Defensoria Pública foi excelente por levar serviços essenciais aos mais carentes. Aproveitei o mutirão e fiz um exame de HIV . Espero mutirões como esse sejam ampliados com novos serviços”, sugere.
 
Direito à saúde – A aposentada, Maria Elinor Santos das Neves, 60 anos, saiu do Bairro Santos Dumont para buscar orientação para fazer uma cirurgia de Artroplastia. “Há mais de seis anos venho sofrendo com dores no joelho, foi marcada a cirurgia, mas teve que ser adiada e até agora não tem data certa. Soube que ia ter esse mutirão e vim pedir ajuda à Defensoria Pública. Sinto muitas dores, não consigo dormir direito e minha esperança e a Defensoria. Tenho fé em Deus que vou ficar boa”, relata.
 
A dona de casa, Cícera Bispo, de 54 anos, recebeu orientação jurídica e aproveitou para realizar exames médicos. “É muito importante cuidar da saúde e este mutirão foi uma boa ideia. É muito bom para as pessoas da comunidade que precisam e não têm condições de ir ao posto. Antes encontrava dificuldade para ir a consultas na cidade em que morava e hoje consegui resolver duas coisas. A gente tem que pegar tudo que é bom para nós”, comemora.
 
O morador do Bairro Luzia, José Honorato Nascimento, buscou orientação para fazer uma cirurgia vascular.  “Tenho Distúrbio no Feixe de His e desde 2010 que venho tentando conseguir fazer a cirurgia, mas sem esperança. Vim ao mutirão para que a Defensoria possa me ajudar e acredito que conseguirei solucionar meu problema”, disse confiante.
 
Resultado dos Exames de HIV e Hepatite B e C – A enfermeira do Programa DST/AIDS da Secretaria Municipal de Saúde, Marília Uchôa, disse que dos testes de Hepatite B e C e de HIV/AIDS, apenas três foram positivos. “Infelizmente tivemos um reagente para AIDS, um para Hepatite B e um para Hepatite C. As pessoas que apresentaram resultados positivos acabam descobrindo nesses mutirões e, devido essas doenças serem assintomáticas, ou seja, não apresentarem sintomas, fica mais difícil ter um diagnóstico dessas doenças. Por isso, ações como essa são importantes para termos um diagnóstico precoce, que é nosso maior objetivo e assim poder tratar a doença e dar uma condição de vida melhor para o portador. Após o resultado encaminhamos a pessoa para tratamento e acompanhamento das Secretarias de Saúde”, afirmou.


Fonte: Ascom DP
 

Compartilhe:

Outras Notícias

Article show big 146b7b4b96748d11
Article show big 0544d060354b609a
Article show big 19423f3343efcb4b