Senado realiza sessão temática para celebrar o Dia Internacional dos Direitos Humanos

Article show big bcb96015939ca61b

O Senado realizou sessão temática, na segunda-feira (9/12), para celebrar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, comemorado em 10 de dezembro. Os debatedores ouvidos na sessão condenaram com ênfase as violações aos direitos da população negra, cobraram o resgate da participação dos negros na história e defenderam o cumprimento pleno das políticas de cotas no ensino superior e em concursos públicos. A sessão atendeu ao pedido do presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH), Paulo Paim (PT-RS), apoiado por outros 26 senadores.
 
A presidente da Associação dos Defensores Públicos do Distrito Federal (Adep-DF), Mayara Lima Tachy, considera que formou-se um mito da inexistência do racismo no Brasil. Ela entende que o problema estrutural persiste na vulnerabilidade da juventude negra e na falta de representantes no poder e nos negócios. "Não podemos fugir da ideia de que há uma interseccionalidade nisso. Especialmente atingindo as mulheres negras, que estão na parte debaixo da cadeia alimentar", lamentou.
 
Mayara também disse que o encarceramento em massa dos negros reflete uma estrutura de poder determinada a excluir essa população do convívio da sociedade, e propôs a inserção no mercado de trabalho por meio de cotas como forma de reverter anos de prejuízo pela escravidão.
 
Participaram dos debates Humberto Adami Santos Júnior, presidente da Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Deise Benedito, mestre em Direito e Criminologia da Universidade de Brasília (UnB); Viviane Ceolin Dallasta Del Grossi, defensora pública federal; Makota Celinha, coordenadora nacional do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira; Toni Reis,Diretor executivo da organização LGBTI Grupo Dignidade; Ana Claudia Pereira, gerente de projetos da ONU Mulheres; José Vicente, Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares; Rita Cristina de Oliveira, representando o Grupo de Políticas Etnico-raciais da Defensoria Pública da União; Maria Aparecida de Laia, presidente do Instituto de Pesquisas e Ensino Para o Desenvolvimento Social (Ipedes) e o jornalista e escritor Tom Faria. 
 
O presidente e a vice-presidente institucional da ANADEP, Pedro Coelho e Rivana Ricarte, também participaram da sessão.
 

Fonte: Ascom ANADEP
 

Compartilhe:

Outras Notícias

Article show big 05a8ebd39944bacd
Article show big 8a0d29b7bcfe1960
Article show big bdeddb93fdd9b756